Recentemente meu grande amigo Matheus Haddad da Webgoal, me fez uma pergunta tão interessante sobre Gestão 3.0, que eu resolvi fazer um post com a resposta para poder compartilhar com todos: Ele gostaria de saber exemplos de empresas que estão aplicando conceitos da Gestão 3.0.
Antes de qualquer coisa, acho importante separarmos os conceitos de Democracia Organizacional e Management 3.0.  No TDC, na trilha de Gestão 3.0, tivemos palestras sobre ambos os assuntos, e notei que algumas pessoas entenderam que ambas tem que andar juntas, mas na verdade, são coisas diferentes, que podem ou não andar juntas.
É difícil dizer se uma empresa usa Gestão 3.0, porque a gestão 3.0 é um conjunto de princípios e práticas dividios em 6 visões que tem como forte base o pensamento complexo:
  1. Energizar Pessoas: pessoas são a parte mais importante de uma empresa e a gestão deve portanto fazer o que for possível para mantê-las ativas, criativas e motivadas.
  2. Empoderar Times: times devem auto-organizar, mas para isso precisam empoderação, autorização e confiança da gestão.
  3. Alinhar Restrições: auto-organização pode não funcionar, para diminuir esta possibilidade dê às pessoas um propósito claro e metas compartilhadas.
  4. Desenvolver Competências: times não conseguirão atingir as metas caso alguns de seus membros não forem suficientemente capazes. Gerentes devem contribuir para o desenvolvimento de competências.
  5. Crescer a Estrutura: muitos times trabalham dentro de um contexto organizacional complexo, portanto é importante considerar estruturas que promovam a comunicação.
  6. Melhorar Tudo: pessoas, times, e organizações precisamos melhorar continuamente para evitar falhas sempre que possível.
Veja alguns exemplos de empresas com práticas alinhadas a estas visões:
Handelsbanken é um Banco Europeu que utiliza uma Estrutura Organizacional Fractal (são as agências – e as pessoas das agências tem autonomia para tomar a grande maioria das decisões, sem precisar consultar uma entidade central do banco). Nesta organização, os objetivos são auto-impostos pelas equipes das filiais e estabelecidos em intervalos variáveis. Eu entendo que este banco, que é um dos mais lucrativos da Europa, se destacada em aplicar muito bem as visões Empoderar Times e  Crescer a Estrutura e Alinhar Restrições da Gestão 3.0. Aprenda mais sobre este banco neste estudo de caso realizado pelo Alexandre Magno da Adaptworks.
Na Southwest airlines, os objetivos na empresa são estabelecidos para cada unidade de negócios dentro de parâmetros largos e expectativas, considero um bom exemplo de Alinhar Restrições. Lá todos sabem exatamente o que devem fazer: servir.
Zappos é a aquele empresa que vende sapatos nos EUA e foi comprada pela Amazon, também aplica muito bem a visão de Empoderar Times. Os atendentes tem autonomia de tomar muitas decisões, como por exemplo, mandar flores para uma cliente que ficou viuva e pagar na conta da empresa, se der na telha. Não há script no Help Desk, e as pessoas podem ser elas mesmas, e até mesmo fazer coisas estranhas, na verdade, fazer coisas estranhas é um core values deles. As pessoas podem manifestar-se na empresa como pessoas únicas que tem motivações diferentes por isso considero que a empresa também aplica muito bem a visão Energizar PessoasAprenda mais sobre a Zappos assistindo a esta palestra.
O Grupo Semco, também é conhecida pela autonomia que as pessoas tem, inclusive para participar das contrações, mesmo quando de seus próprios gerentes. Os funcionários também podem definir seus próprios horários de trabalho, dentre outras diversas coisas. Leia mais sobre os executivos abrem mão do controle e empoderam suas equipes neste artigo da revista Você S/A.

“Se não deixarmos que as pessoas façam as coisas a seu modo, jamais saberemos do que realmente são capazes.”

Ricardo Semler – Acionista majoritário e CEO da Semco

Quando penso na sexta visão da Gestão 3.0: Melhorar Tudo, a primeira empresa que vem a mente é Toyota. A Cultura da empresa faz com que as pessoas respirem melhoria contínua. Segundo pesquisadores da empresa, todo colaborador da Toyota é responsável por tornar  o seu trabalho e das pessoas a sua volta melhor a cada dia. Técnicas como PDCA, A3, 6S, etc. são apenas um reflexo disso tudo. Saiba mais sobre a Toyota neste Dossiê de apresentações sobre a Cultura Toyota.

A Google e a Facebook, e Atlassian, são bons exemplos de empresas que aplicam bem a visão Energizar as Pessoas e Desenvolver Competências, por seus famosos 20% do tempo para projetos “pessoais”, ou Hackthons ou FedexDays.

Na Pixar, para todo o lançamento de filme, por maior que seja o recorde de vendas nas bilheterias, a equipe conduz uma sessão de lições aprendidas no projeto: 5 coisas que deram certo, 5 coisas que deram errado, lá os erros não são motivo para humilhação pública, mas oportunidades de aprendizado. Aprenda mais sobre o estilo de gestão da Pixar, lendo a estes artigos da revista The Economist.

Sabendo ou não, essas empresas põe em prática diversos princípios da gestão 3.0. Poderíamos citar diversas outras empresas aqui, inclusive muitas brasileiras. Bom, mas isso ficará para um próximo post.

E você conhece outras empresas que estão praticando gestão 3.0? Então, por favor, deixe um comentário.

Conteúdo Relacionado

Share This