Restrospectivas ágeis são sem dúvida, uma grande oportunidade para que equipes de desenvolvimento de software parem para pensar no trabalho que vem realizando e questionem o que pode se melhorado. É um execente ferramenta para que o famoso ciclo PDCA (Plan / Do / Check/ Act) possa ser aplicado.
O método ágil Scrum sugere que as reuniões de retrosprestiva aconteçam no final da iteração (sprint) e que a equipe se faça duas perguntas básicas:
– “O que está indo bem?”
– “O que pode ser melhorado?”.
Alguns preferem perguntar:
– “O que devemos parar de fazer?”
– “O que devemos contunuar fazendo?”
– “O que devemos começar a fazer?”
No fim das contas o que realmente importa é que a reunião tenha como resultado ações a serem tomadas pela equipe para que a melhoria continua seja aplicada, e que na próxima restrospectiva, a equipe seja melhor do que era na última.
Alguns dias atrás o Vinicius Teles da Improveit twitou o link de uma palestra que foi apresentada no Google por by Esther Derby e Diana Larsen sobre restrospectivas ágeis. As duas são especialistas sobre assunto e já até escrevem um livro que pode ser comprado por $20 em PDF. Vale a pena assitir a palestra:
[youtube:]
Creio que uma das coisas mais importantes que as duas destacaram na apresentação é a necessidade de dividir as responsabilidades de tomar as ações entre os membros da equipe para que as mudanças realmente aconteçam.  De nada adianta reuniões de retrospectivas que apontam problemas que nunca são resolvidos por ninguém. Para evitar que isso aconteça na Bluesoft, ultimante em toda reunião de restrospectiva nós lemos os itens que identicamos como coisas que poderiam ser melhoradas no sprint anterior e então rapidamente discutimos se realmente já estão resolvidos, e caso não estejam, voltamos a incluir o item e insistímos até que finalmente seja resolvido.
Um outro ponto interessante levantando por meu amigo Ricardo Almeida, é que devemos tomar cuidado para não transoformar a reunião de restrospectiva em um reunião de busca de culpados. O foco deve ser sempre na solução.

Retrospectivas Ágeis são, sem dúvida, muito importantes para que equipes de desenvolvimento de software parem para pensar no trabalho que vem realizando e questionem o que pode se melhorado.

É uma excelente ferramenta para que o famoso ciclo PDCA (Plan / Do / Check/ Act) ou Ciclo de Deming possa ser aplicado. O método ágil Scrum sugere que as reuniões de retrospectiva aconteçam no final da iteração (sprint) e que a equipe se faça duas perguntas básicas:

  • O que está indo bem?
  • O que pode ser melhorado?

Alguns preferem perguntar:

  • O que devemos parar de fazer?
  • O que devemos continuar fazendo?
  • O que devemos começar a fazer?

No fim das contas o que realmente importa é que a reunião tenha como resultado ações a serem tomadas pela equipe para que a melhoria continua seja aplicada, e que na próxima restrospectiva, a equipe seja melhor do que era na última.

Retrospectivas Ágeis em 5 Minutos

Preparei também um vídeo curto para você sobre a importância das Retrospectivas Ágeis:

Retrospectivas Ágeis segundo Especialistas

O Vinicius Teles da Improveit twitou o link de uma palestra que foi apresentada no Google por by Esther DerbyDiana Larsen sobre restrospectivas ágeis. As duas são especialistas em Retrospectivas Ágeis e já até escreveram um livro que pode ser comprado em PDF. Vale a pena ver a palestra:

Creio que uma das coisas mais importantes que as duas destacaram na apresentação é a necessidade de dividir as responsabilidades de tomar as ações entre os membros da equipe para que as mudanças realmente aconteçam.  De nada adianta Retrospectivas Ágeis que apontam problemas que nunca são resolvidos por ninguém. Para evitar que isso aconteça na Bluesoft, em toda reunião de retrospectiva nós lemos os itens que identificamos como coisas que poderiam ser melhoradas no sprint anterior e então rapidamente discutimos se realmente já estão resolvidos, e caso não estejam, voltamos a incluir o item e insistímos até que finalmente seja resolvido.

Um outro ponto interessante levantando por meu amigo Ricardo Almeida, é que devemos tomar cuidado para não transoformar a reunião de restrospectiva em uma mera busca de culpados. O foco deve estar sempre na solução.

No inicio desde ano Linda Rising apresentou na QCon Londres 2009 um tutorial sobre retrospectivas, uma de suas dicas, foi que as pessoas anotassem os acontecimentos bons e ruins ao longo do sprint em post-its para que não os esquecessem. Na Bluesoft, reservamos uma área do Kanban para que estes post-its sejam anexados.

Para maiores informações sobre retrospectivas, visite o Agile Restrospective Resource Wiki, um wiki (em inglês) com uma série de dicas, exercícios e ferramentas para realização de retrospectivas. O site cmcrossroads possui uma lista bem completa de sites onde você pode encontrar excelente material sobre o assunto.

Boas Retrospectivas Ágeis para você!

Conteúdo Relacionado

Share This