8727466

Recentemente, li um livro muito interessante escrito por Garry Taubes, um cientista que mudou bastante minha visão sobre nutrição. Taubes escreveu diversos livros sobre o assunto e em seus livros apresenta dados e resultados científicos que mostram que o senso comum de que engordamos quando consumimos mais calorias do que queimamos pode não ser a resposta que procuramos para uma vida mais saudável.

Segundo os estudos apresentados por Taubes, o grande vilão da obesidade são os açucares e carboidratos, e não simplesmente a quantidade de calorias que ingerimos.

carbs

Outro fato interessante é que a ingestão de gordura, mesmo que saturada, algo que tem sido tão duramente criticado nos últimos anos, pode não ser, de fato, tão prejudicial a saúde como se diz.

“Se você deixar de comer ovos com bacon… e substituí-los por cereal de milho, leite e bananas, seu colesterol bom vai baixar e suas chances de ter uma ataque cardiaco vai aumentar.”

Quando você ingere carboidratos e açucares, seu organismo libera insulina, e quando o nível de insulina está elevado, nós acumulamos gordura em nosso tecido gorduroso. Já quando esses níveis de insulina caem, seu organismo libera gordura do tecido gorduroso e a queima como combustível.

Nossos níveis de insulina são basicamente determinados pelos carboidratos que ingerimos. Quando mais carboidratos se ingere e quanto mais fáceis eles são de digerir e mais doces, mais insulina é liberada no organismo.

O grande ponto aqui é a que ciência nos diz que o acumulo de gordura é resultado de desequilíbrio hormonal (insulina) e não um desequilíbrio de calorias. Em outras palavras você não emagrece apenas cortando calorias, você emagrece cortando aquilo que aumenta os níveis de insulina em sua corrente sangüínea – carboidratos.

Taubes exemplifica que em muitas culturas a obesidade está relacionada com a pobreza e não com riqueza. Isso pode ser facilmente explicado pelo fato de os mais pobres, nessas culturas, tinham dietas muito ricas justamente em carboidratos, apesar de, geralmente, exercerem trabalhos fisicamente ativos (que queimam calorias).

Taubes cita, diversos exemplos e casos reais de pessoas que foram estudas e perderam peso com dietas baseadas em baixo consumo de carboidratos e alto consumo de proteína e gordura. Cuidado, porém, antes de fazer alterações radicais em sua deita, tais alterações podem trazer diversos efeitos colaterais, recomenda-se consultar um especialista.

Alimentos ricos em Proteína

Alimentos ricos em Proteína

Recomendo a leitura!

Conteúdo Relacionado

Share This