No inicio da semana fiz uma apresentação na Bluesoft baseado nos slides do Henrik Kniberg sobre “Como Arruinar com XP e Scrum”, foi extremamente proveitoso e já estamos colhendo frutos porque enxergamos alguns problemas que precisamos solucionar.

Ontém, Kniberg, também autor do livro “Scrum and XP from the trenches”, que está sendo traduzido para o português fez essa apresentação no evento Agile 2008 em Toronto no Canadá.

O Guilherme Chapiewski da Globo.com está participando do evento e falou um pouco sobre a visão dele em relação a palestra.

Segundo o Gojko Adzic, Kniberg falou sobre sintomas e problemas comuns do dia-a-dia das equipes ágeis, e pediu para que platéia votasse naqueles problemas que mais os afetassem. A platéia votou através de cartões coloridos, um verde que sinalizava que o problema não era tão grave, um amarelo que sinalizava um problema que afetava um pouco, e um vermelho que sinalizava um problema grave. Isso ajudou que que fossem identificados os problemas mais comuns entre as equipes ágeis.

Os tópicos levantados foram os seguintes:

1. A Bala de Prata – Crenças Falsas (muitos cartões amarelos)

  • acreditar em mágica — “todos os nosso problemas serão magicamente resolvidos quando implementarmos XP”
  • Resistencia a mudança
  • Descartar coisas que funcionam
  • Focar demais na perfeição do processo
  • Tentar ter tudo certo desde o começo
  • Foco na ferramenta —”vamos comprar a ferramenta mais cara de XP”
  • Foco em coisas sem importância (Devemos utilizar post-its ou cartões)

2. Definição de Pronto – DoD (mais cartões amarelos e vermelhos)

  • não tê-la
  • não obedecê-la
  • foge do controle da equipe

3. Velocidade (empate)

  • não é medida
  • é medida porém, não é utilizada pra nada
  • marcha lenta
  • existe trapaça
  • velocidade io-io – muito inconstante

4. Retrospectiva (empate)

  • não acontece
  • não resulta em melhorias
  • mudanças não são executedas e verificadas
  • pessoas indesejáveis na reunião
  • faltam membros da equipe ou o product owner
  • equipe penalizada por mundanças negativas

5. Comprometimento (mais vermelhos e amarelos)

Equipe Unida

Equipe Unida

  • equipe pressionada – prazos, marcha lenta, gerentes agressivos
  • equipe desunida
  • equipe sem disposição para aprender
  • sempre pouco compromentimento
  • sempre muito comprometimento
  • velocidade zero — nada entregue

6. Débito Técnico (mais vermelhos)

  • não é gerenciado
  • nada nunca é resolvido
  • é ignorado
  • melhorias feitas no produto, mas nunca no processo

7. Trabalho em Equipe (amarelos e vermelhos)

  • papéis fixos — “eu nunca vou mexer nisso aí”
  • backlogs pessoais
  • pessoas não se ajudam
  • modelos de incentivo pessoal
  • implementação de várias estórias em paralelo
  • interferência do gerente

8. Product backlog e product owner (mais vermelhos)

  • não há backlog
  • o backlog não é visível
  • estórias grandes demais ou sem fim
  • product owner sem conhecimento de negócio
  • product owners demais
  • product owners conflitantes
  • product backlog sem manutenção
  • product owner surpreendido na demonstração do sprint

9. Medo de integrar código – “fazer merge” (empate)

  • sem branch pronto
  • sem regras de criação e integração de branches
  • regras pouco claras ou mal definidas
  • integração pouco frequente ou cedo demais

10. Sprint backlog/quadro de tarefas (empate)

  • não existe
  • muito longe da equipe
  • complicado — “colunas demais”
  • não usado na reunião diária
  • não pertence ao time
  • sem burndown chart
  • não é atualizado diariamente
  • sinais de alerta ignorados

De acordo com os votos da platéia o débito técnico, o product backlog e as tarefas do product owner são os principais problemas. Os slides da apresentação estão disponíveis do site do Kniberg.

Fiquem ligados no Blog do Guilherme para maiores informações sobre as palestras realizadas no evento.

Share This