O pessoal da Software Engineering Podcast acabou de publicar a entrevista de Markus Völter com o consagrado Robert C. Martin, também conhecido como Uncle Bob Martin autor diversos livros como Clean Code e evangelista do movimento Software Craftsmanship. Recomendo que todos ouçam ao podcast (em inglês) na integra, mas gostaria de enfatizar alguns pontos importantes.

Sobre o Arquiteto de Software

Foto por Anirudh Koul

Foto por Anirudh Koul

Segundo Uncle Bob, pensar arquitetura e design vale muito a pena, porém, ele não gosta nada da idéia de se separar a arquitetura da codificação. Os melhores arquitetos são aqueles que codificam e vivem no “mundo que constroem para os outros”, disse. Se um arquiteto não codifica ele fica desconectado das decisões que toma, porque não é afetado por elas, ele  “não tem que dormir na cama que faz”.
O importante é que arquitetos mantenham seus dedos no teclado, a final, você não pode liderar um time a menos que os conheça e entenda. Você tem que experienciar o que o time está fazendo para saber o que ele realmente precisa.

Documentação

O código é documentação mais imporante. Todos os outros documentos devem refletir o que o código faz. O código digire todos o resto e não é apenas resultado de outros documentos como sugure o waterfall.

Software Crafsmanship

O termo foi criado com a publicação do livro de Pete McBreen em 2002.  Fala-se sobre aprender com mestres. Aprenda as habilidades e como tomar decisões, mas você deve aprender com outras pessoas ajudando-as a fazerem seu trabalho.

  • Você deve sentir orgulho da forma que você trabalho.
  • Sinta orgulho de poder fazer Test Driven Development.
  • Sinta orgulho de ter alta cobertura de código.
  • Sinta orgulho de desenvolver software de alta qualidade.
  • Sinta orgulho de ter um bom design de código.
  • Sinta orgulho de desenvolver software que realmente agregue valor de negócio aos clientes.

Uncle Bob sugere como práticas TDD, Integração Contínua e Programação em par, e afirma que bons times trabalham em par na maior parte do tempo, no entanto, afirma que não se deve ser religioso quanto a isso, “você não precisa trabalhar em par 100% do tempo”, diz.

Qualidade e Relacionamento com Clientes

Não basta funcionar, o software deve ser bem escrito e fácil de manter. Foque em agregar valor. Deve haver um parceira com os clientes. Você deve realmente envolver-se com as decisões tomadas e garantir que o que cliente pede realmente vai agregar valor para ele. Não faça simplesmente porque é seu trabalho se você já sabe que não vai dar certo. Comprometa-se com o resultado do seu trabalho.

Produtividade

Aprenda os Shortkeys (atalhos de teclado). Tente fazer o máximo que você puder sem usar o mouse. Um desenvolvedor de software deve estar altamente integrado com seu ambiente.
Utilize uma boa ferramenta de SCM (Source Code Control), o CVS é razoável, o SVN é melhorzinho, mas meu favorito é o Git.

Bug Tracking Systems são importantes, mas use com certo cuidado. Devem ser leves  e simples de usar.
Use ferramentas para teste como  jUnit (xUnit), rSpec, Cucumber, JBehave e Fit.
Linguagens dinamicas são muito produtivas e se você faz TDD o “perigo” vai embora. Você não precisa mais de um compilador para te dar uma falsa segurança.

Desenvolvimento de Carreira

A coisa mais importante para um desenvolvedor de software é noção de aprendizado contínuo. Você nunca pode parar de aprender. É como um médico.

Você deve aprender o máximo de linguagens que puder, e deve conseguir escrever código em todas essas linguagens ainda que não seja um especialista em todas elas. Não adianta. Aprenda no mínimo uma linguagem estática, uma dinâmica e uma funcional. Robert diz que todos devem aprender LISP.

Recado de Uncle Bob no Rails Conf 2009

Uncle Bob Martin na RailsConf 2009 porFabio Akita no Vimeo

Mais Informações sobre Robert C. Martin

Conteúdo Relacionado

Share This