Delegar é uma das competências mais importantes de gestão. Toda equipe possui e realiza em algum nível atividades de gestão. Normalmente, essas atividades e preocupações são centralizadas na figura de um gerente, porque gerentes são autorizados por shareholders (acionistas, donos de empresas, etc.) para gerenciar seus negócios e contratar outras pessoas, inclusive outros gerentes. Independente disso, a gestão sempre existe.

Jurgen Appelo, apresenta em seu livro Management 3.0, as 6 visões da Gestão, são elas:

  1. Alinhar restrições
  2. Desenvolver Competências
  3. Empoderar equipes
  4. Crescer a Estrutura
  5. Melhorar Tudo
  6. Energizar as Pessoas

Para que a auto-organização se manifeste positivamente em uma organização, é preciso que haja distribuição de controle a delegação da autoridade, é sobre isso que diz respeito a visão Empoderar Equipes.

A auto-organização é Complexa

O Desenvolvimento Ágil de Software é um grande sucesso graças a auto-organização, a auto-organização está no campo da Complexidade.

Appelo, coloca a complexidade em um meio termo entre o Extremo Caos e a Extrema Ordem (burocracia). A Complexidade e o Caos não são a mesma coisa, a própria natureza é complexa, os ecosistemas, assim como as equipes ágeis, são complexos, mas não (necessariamente) caóticos.

Uma vez que são autorizados pelos stakeholders, o grande desafios dos gerentes é garantir que “times auto-organizáveis”  se comportem de tal forma a gerar valor para todos os stakeholders. Um gestor faz isso através de restrições que impõe no sistema.

Delegar não é De-largar

Um gestor forte, tem um time forte, e para se ter um time forte, é preciso tenha autonomia para tomar decisões que devem tomar e, por isso, delegar é preciso.

É importante, porém, compreender que delegar é uma questão de compartilhamento de responsabilidade, é preciso acompanhar, treinar, e enxergar a delegação como um investimento que vai se pagando ao longo do tempo, e possivelmente não trará resultados imediatos devido a curva de aprendizado das pessoas.

Delegar não é Binário

Muitas vezes, vemos a delegação como sim ou não, pode ou não pode, deve ou não deve, porém não precisa, e diria até que não deve ser assim na maioria das vezes.

Jurgen Appelo, na Gestão 3.0, apresenta 7 níveis de delegação que podem ser aplicados à pessoas, equipes ou papéis para áreas de decisão diferentes. Na  sua organizações, há milhares de decisões que são tomadas todos os dias, coisas como: Quais pessoas farão parte do novo projeto? Qual logo devemos utilizar para esse produto? As pessoas devem trabalhar em pares ou sozinhas? Devemos utilizar a tecnologia X ou Y? Devemos comprar do fornecedor X ou Y? Coisas assim…

Para cada uma dessas decisões você pode escolher uma abordagem diferente de delegação:

  1. Mandar: O gestor diz o que deve ser feito.
  2. Vender: O gestor vende a ideia dele para a equipe.
  3. Consultar: O gestor pede a opinião da equipe, mas ele toma a decisão.
  4. Consenso: O gestor e a equipe decidem juntos.
  5. Aconselhar: O gestor dá um conselho, mas permite que a equipe tome a decisão.
  6. Prestar Contas: A equipe decide e depois presta contas da decisão que tomou para o gestor.
  7. Delegar: A equipe decide, e nem sequer precisa explicar para o gestor sobre a decisão.

Preparei um vídeo onde explico um pouco sobre cada um dos 7 níveis:

 

Remova as cercas elétricas invisíveis

Muitas vezes não está claro para as pessoas da sua equipe o que elas podem e não podem fazer. Você acaba, de uma forma ou de outra, definindo os níveis de delegação mas esquece de comunicar para sua equipe o que espera deles.

Donald Reinertsen, diz que em situações assim é como se as pessoas estivessem caminhando num lugar repleto de “cercas elétricas invisíveis”, porque apesar de não está claro o que podem ou não podem fazer, quando tentam algo diferente, acabam por levar uma advertência do gerente. Ambientes assim são fábricas de pessoas com medo e sem iniciativa.

Quadros de Delegação

Para evitar essa falta de clareza, Jurgen sugere a criação de Quadros de Delegação, ferramenta que pode ser usada para deixar visível e claro para todos qual será a abordagem de delegação utilizada para cada área de decisão importante para a organização. Veja um exemplo:

Quadro da Delegação

Conclusão

Equipes poderosas, fazem gerentes poderosos. Trabalhadores do conhecimento precisam tomar decisões, e na grande maioria das vezes tomaram melhores decisões relacionadas a seus trabalhos do que seus gestores poderiam tomar. Não tenha medo de delegar, mas delegue com responsabilidade. Permita que as pessoas saibam o que devem ou não devem fazer e qual é o nível de autonomia delas em cada área de decisão da sua organização, não faça da sua organização um campo repleto de cercas elétricas invisíveis.

Quer aprender mais, faça o treinamento de Management 3.0, e leia o livro de Jurgen Appelo: Management 3.0 Workouts.

Conteúdo Relacionado

Share This