Depois de ouvir o Grok Podcast sobre a biografia de Steve Jobs, resolvi fazer algumas pesquisas para aprender um pouco mais, então me deparei com esta entrevista realizada em 1995 quando Jobs ainda não havia retornado a Apple. Vale a pena ver.

Alguns pontos de destaque:

  • Jobs fala sobre os problemas das instituições públicas de ensino nos EUA, comenta sobre como as coisas poderiam ser melhores se os pais dos estudantes estivem mais preocupados com a qualidade do ensino e se as instituições fossem privadas, e houvesse disputa entre elas.
  • Outro tópico abordado é a pessima qualidade da programação dos canais de televisão, para Jobs, seria muito melhor se isso fosse uma conspiração da mídias para servir conteúdo barato ao público, mas infelizmente, a verdade é que a mídia oferece as pessoas aquilo que elas querem ver, e a grande partes das pessoas quer simplesmente entrar na frente da TV, e desligar suas mentes para consumir essa programação que não agrega valor algum.
  • Jobs, fala que a diferença entre o melhor e pior motorista de taxi, deve ser algo entre 1 e 2 (o melhor atravessa a cidade em 1 hora e pior em meia hora, por exemplo), no desenvolvimento de software essa diferença é de 1 para 100 ou mais. O trabalho de Jobs, era ir atrás das melhores pessoas do mundo. E se livrar dos outros. Segundo ele a maior parte das pessoas que deram entrevista para autores de livros sobre ele foram justamente essas pessoas das quais ele se livrou.
  • O que nos manteve unidos na Apple era a habilidade de acreditar e fazer coisas que poderiam mudar o mundo. Nós fazemos Arte. Para Steve já uma grande relação entre computação e arte.
  • Nosso objetivo era fazer os melhores computadores para as pessoas usarem, diz Jobs. O que estava arruinando a Apple é que os líderes estavam esquecendo a causa da Apple e preocupando-se com suas Glórias Pessoais. Quando pessoas corruptas estão no poder, só permitem que outras pessoas corruptas prosperem e contratam outras pessoas corruptas.
  • Steve comenta que nos momentos difíceis chegava a trabalhar 18 horas de trabalho por dia.
  • Steve diz que vivia cada dia como se fosse o seu último.

“Viva cada dia como se fosse o seu último, e um dia, sem dúvida, você estará certo.”

Conteúdo Relacionado

Share This